Jürgen habermas: 80 anos

Jürgen habermas: 80 anos

Versione PDF del documento

O filósofo e sociólogo alemão Jürgen Habermas completa 80 anos de vida. Nascido em Düsseldorf, Alemanha, em 18 de junho de 1929, Habermas assoma no contexto da filosofia do século XX como um dos mais promissores cientistas sociais e pensadores filosóficos.
Discípulo e aluno de Theodor Adorno e Max Horkheimer sendo, portanto, legítimo continuador da tradição de pesquisa na linha da ‘Escola de Frankfurt’, Habermas obteve livre-docência em filosofia pela Universidade de Heidelberg em 1961, onde lecionou até 1964. Publicou “Conhecimento e Interesse” em 1968, obra que o projetou internacionalmente. Foi professor da Johann Wolfgang von Goethe Universität em Frankfurt (1964-1971 e 1983-1994). Diretor do Instituto Max Planck de pesquisas sociais (1971-1983) em Starnberg, Alemanha.
Em 1981 publica sua obra magna ‘Teoria do Agir Comunicativo’, onde trata de uma nova concepção de racionalidade comunicativa e processual, capaz de aproximar as pessoas pelo diálogo crítico, intersubjetivo, mutuamente esclarecedor, aproximando as tradições de críticas hegelianas e marxistas do racionalismo lingüístico e processual.
 Essa proximidade com a racionalidade processual levou Habermas na década de noventa do século XX a aderir a um “pragmatismo kantiano”, defendendo as propostas de Kant no âmbito de um constitucionalismo laico, com abertura a direitos humanos internacionalistas e respeito à dignidade da pessoa humana e participação do cidadão (patriotismo constitucional) como valores centrais do Estado Democrático de Direito.     
A atualização da filosofia crítica aos novos tempos de globalização, a retomada de um pensamento racional processual, aproximaram Habermas da filosofia kantiana e quando da publicação de “Direito e Democracia: entre faticidade e validade” na década de noventa já erige um pensamento jurídico neokantiano e, ao mesmo tempo, sociologicamente crítico-dialético, mantendo parte da tradição dialética hegeliana com apelo à democracia radical. “Não há Estado de Direito sem democracia radical”, diz o pensador teutônico em síntese magistral.
Em Habermas há uma forte defesa da racionalidade, transmutada em razão crítica e dialética dentro do paradigma da racionalidade comunicativa constituída num espaço público democrático. Em verdade, para Habermas o projeto de crítica decorrente da pós-modernidade somente pode dar-se enquanto projeto da razão comunicativa, e o direito somente possui eficácia a partir da estruturação democrática que permita aos destinatários a participação na construção normativa. 
Habermas é um dos mais importantes teóricos atuais não somente da teoria social e democrática, mas da teoria filosófica, haja vista que fomentou a construção de um universalismo dos conceitos racionais, salvaguardando o conceito de verdade ante aos ataques pragmáticos e irracionalistas. Em “O Discurso Filosófico da Modernidade”, talvez uma de suas melhores obras, Habermas fulmina os irracionalistas, ao denunciar o esquema anti-racional de diversas filosofias pós-modernas e modernas.
Essa defesa contundente do universalismo gnoseológico serve para assegurar a primazia do universalismo teórico e prático dos direitos humanos e para estancar o alto grau de irracionalismo do pensamento pós-moderno.  
O próprio Richard Rorty, principal filósofo pragmático da atualidade, assertou que Habermas é maior do que ele, por ser mais criativo e inovador. Para Rorty, Habermas possui uma “grandiosidade universalista, profundidade romântica e finitude humanista’ (apud José Crisóstomo de Souza in ‘Filosofia, racionalidade, democracia”. São Paulo: Unesp, 2005, p. 11).
Habermas legou à nossa época conceitos fundamentais como espaço público, agir comunicativo, patriotismo constitucional. Concepções que auxiliam a democracia em seu desenleio prático e defesa teorética.
 A grandiosidade de Habermas vem sendo reconhecida pelos inúmeros prêmios que recebeu: Kyoto (2004), Irmãos Scholl (1985), Carl Jaspers (1995), Theodor Heuss (1999), Prêmio da Paz da Câmara Alemã do Livro (2000) dentre outros.  
Por tudo isso Habermas já gravou seu nome entre os maiores pensadores da história como defensor incansável da democracia, humanismo e racionalismo. Merece felicitações por seu aniversário: Langes lebens meister Habermas, der Grund und die Demokratie dankt seinen bemühungen, wenn sie es verteidigen!
 
Newton de Oliveira Lima[1]
 


[1] Mestre em Direito pela UFRN.

© RIPRODUZIONE RISERVATA


Per la tua pubblicità sui nostri Media:
maggioliadv@maggioli.it  |  www.maggioliadv.it

Gruppo Maggioli
www.maggioli.it